quarta-feira, 19 de Março de 2014

"Brittle" de pinhão com alecrim

Ainda havia pinhões cá por casa depois de fazer o bolo de pinhão com creme... e como não queríamos correr o risco de se estragarem lá se fez mais esta receita com esses preciosos frutos secos.

Esta receita tirei daqui, e é um verdadeiro pecado... A gula "nasceu" a partir de receitas como esta!
Adaptei as quantidades para os 60gr de pinhões que me restavam depois do bolo de pinhão...

O alecrim liga tão bem com o pinhão! Fiquei agradavelmente surpreendida!


Brittle de pinhão com alecrim

Ingredientes:
  • 70gr açúcar
  • 60gr pinhão
  • 1 colher (sopa) bem cheia de manteiga
  • alecrim picado (cerca de 20 folhinhas) e sal a gosto
Preparação:

Colocar o açúcar numa frigideira anti aderente e deixar derreter até que fique com cor de caramelo. Juntar os pinhões e envolver. Juntar depois a manteiga e mexer bem, cozinhando por cerca de dois minutos. Adicionar um pouco de alecrim e sal grosso. Mexer e verter para uma folha de papel vegetal em cima da bancada, alisando para que fique uniforme. Salpicar com mais um pouco de alecrim e sal grosso e deixar arrefecer totalmente. Partir em pedaços e deliciar-se!


Vai um pedacinho?

Versão para impressão

domingo, 16 de Março de 2014

Bolo de pinhão com creme

Continuamos com receitas de pinhão, tão generosa foi a quantidade que conseguimos "colher". Esta receita retirei daqui. A alteração que fiz nos ingredientes foi apenas usar mais pinhões!

Os pinhões dado o seu custo, podem perfeitamente ser substituídos por outro fruto seco a gosto. Podem também não usar-se as sultanas no creme, mas eu gosto daquelas pequenas surpresas.


Bolo de pinhão com creme

Ingredientes:

Para o creme:
  • 3 gemas
  • 4 colheres (sopa) açúcar
  • 2 colheres (sopa) farinha
  • 500ml leite
  • 2 colheres (sopa) de sultanas ensopadas em vinho do Porto (cerca de 25ml)
Para a massa:
  • 180gr manteiga (à temperatura ambiente)
  • 150gr açúcar
  • 3 ovos
  • 180gr farinha
  • 2 colheres (chá) de fermento em pó
  • 25gr pinhões para a massa + 25 gr de pinhões para cobrir
  • açúcar em pó q.b. para polvilhar o bolo depois de frio
Preparação:

O primeiro passo é fazer o creme, que tem de estar frio antes de juntar à massa.
Colocar as passas numa tacinha com o vinho do Porto.
Levar o leite a aquecer num tacho e assim que começar a levantar fervura juntar-lhe, em fio, as gemas previamente batidas com o açúcar e a farinha. Mexer muito bem com a vara de arames até que o creme engrosse um pouco.
Retirar do lume para uma taça, envolver as passas escorridas, e deixar arrefecer.

Preparar a massa do bolo batendo bem a manteiga com o açúcar até ficar cremoso. Juntar os ovos um a um, batendo bem entre cada adição. Juntar a farinha e fermento, peneirados. Adicionar 25gr de pinhão e envolver.

Numa forma de fundo amovível ou de aro forrada com papel vegetal, untada e enfarinhada, colocar metade da massa, alisando-a com a ajuda de uma espátula. Verter o creme para a forma. Colocar o resto da massa tendo o cuidado de encher o rebordo e ir preenchendo, com pequenos montinhos, o resto da forma com cuidado para não misturar com o creme (se ficarem pedaços por cobrir não há problema). Antes de levar a forno médio, pré-aquecido,  salpicar generosamente com pinhões.
Retirar quando estiver bem dourado (o teste do palito não serve porque o creme fica sempre húmido).


Deixar arrefecer, desenformar com muito cuidado para não partir o bolo, e antes de servir polvilhar com açúcar em pó.

Vai uma fatia?

Versão para impressão

sábado, 8 de Março de 2014

Tarte de pinhão

O pinhão é um fruto seco com um preço proibitivo... Mas tive a sorte de me cruzar com umas pinhas que pacientemente se aqueceram à lareira para abrir e passados uns serões a partir cascas lá reunimos uma boa quantia de pinhões!

Para além de poder comer simples ficam deliciosos numa tarte! (receita retirada  daqui - alterei apenas a quantidade de pinhão e adicionei um pouco de aroma de baunilha)

Tarte de pinhão

Ingredientes:

Para a massa:
  • 100gr manteiga
  • 120gr açúcar
  • 2 ovos
  • 0,5dl leite
  • raspa de limão
  • 1 colher (chá) aroma de baunilha
  • 250gr farinha
  • 1 colher (chá) fermento
Para a cobertura:
  • 175gr pinhões ligeiramente tostados
  • 120gr açúcar
  • 80gr manteiga
  • 6 colheres (sopa) de leite
Preparação:

Para a massa bater a manteiga com açúcar e adicionar depois os ovos, um a um.  Juntar o leite, a raspa de limão e a baunilha e mexer bem. Envolver a farinha e o fermento, peneirados. Verter a massa numa tarteira de fundo amovível untada com manteiga e polvilhada com farinha. Levar a forno médio e retirar ainda mal cozida.

Entretanto preparar o cobertura colocando todos os ingredientes num tachinho e deixar ferver alguns minutos. Colocar por cima da tarte e levar novamente ao forno até dourar ligeiramente.

Retirar, deixar arrefecer um pouco, desenformar... E depois é esperar que arrefeça totalmente, preparar um café ou um chá e deliciar-se!
Vai uma fatia?

Versão para impressão

domingo, 16 de Fevereiro de 2014

Crepes com molho de laranja

Uma receita para comemorar o 11º aniversário do casal maravilha! Juntaram-se laranjas (e limão) da Cortiçada da quintinha dos meus pais, uma excelente receita de crepes, um licor de laranja caseiro oferecido por uns primos no Natal e saíram estes crepes bem docinhos!

É uma receita inspirada nos famosos "Crêpes Suzette", mas não teve direito a chamas...


Crepes com molho de laranja

Ingredientes:

Para os crepes:
  • 200gr farinha
  • 2 ovos
  • 2 colheres (sopa) açúcar
  • 1 colher (chá) aroma baunilha
  • 450ml de leite
  • manteiga q.b. (para untar a frigideira)
Para o molho de laranja:
  • tirinhas bem finas de casca de limão*
  • tirinhas bem finas de casca de laranja*
  • 30gr açúcar
  • 150ml sumo de laranja
  • 75ml licor de laranja
  • 75gr manteiga
  • segmentos de laranja para acompanhar
(*utilizei cerca de 10gr, no total, de raspas. 1/3 eram de limão e as restantes de laranja)


Preparação:

Para os crepes

Esta receita de crepes não exige que a massa descanse, pelo que a sua preparação se torna bastante rápida.
Numa tigela colocar a farinha e fazer um pequeno buraco no meio. Colocar os ovos, o açúcar e o aroma de baunilha e envolver com uma vara de arames. Assim que deixar de absorver a farinha juntar o leite aos poucos, mexendo bem para que não fiquem grumos.
Assim que estiver uma massa lisa e sem grumos aquecer uma frigideira para crepes (ou uma frigideira anti-aderente). 
Antes de colocar o primeiro crepe colocar uma pequenina noz de manteiga a derreter, espalhando com um pincel. (O passo com a manteiga apenas é necessário novamente se a massa tiver tendência para pegar). Verter uma concha de massa, distribuir uniformemente e deixar em lume médio até que as bordas se comecem a descolar. Com a ajuda de uma espátula descolar o restante crepe e virar para que termine do lado oposto. É uma operação bastante rápida. A receita dá para 8 crepes (frigideira com 24cm de diâmetro).

No fim de todos os crepes feitos, reservar. (Para a restante receita utilizei apenas 4 crepes. Os que sobram podem ser reservados, tapados, em temperatura ambiente ou congelados, separados com papel vegetal ou película aderente.)

Para o molho

Em primeiro lugar colocar as raspas num recipiente pequeno e misturar com o açúcar. Pode ser utilizado logo, mas o ideal é deixar macerar um pouco (deixei cerca de uma hora).
 Para a preparação final do molho colocar a manteiga a derreter numa frigideira anti-aderente grande (26 a 28cm seria o ideal).
Às raspas e ao açúcar acrescentar o sumo de laranja e o licor, mexendo bem. Verter para a frigideira e deixar ferver dois ou três minutos.
Colocar os crepes, um a um. Deverá molhar-se o crepe de ambos os lados e dobrar-se em quatro. "Arrumar" os quatro crepes dobrados na frigideira e deixar ferver um pouco, apurando o molho que irá engrossar.
Servir ainda mornos com segmentos de laranja (tentar retirar as partes brancas).


Vai uma garfada?

Versão para impressão

sábado, 8 de Fevereiro de 2014

Camarão frito com molho de iogurte

Este é um daqueles pratos que se comem de tempos a tempos, mas que sabem muito bem! Excelente para um petisco - o sabor adocicado do camarão e a frescura do molho de iogurte complementam-se divinamente.
 
Camarão frito com molho de iogurte

Ingredientes:

Para o camarão:
  • 30 camarões descascados 
  • sumo de 1/2 limão
  • sal e pimenta da jamaica q.b.
Para o polme:
  • 1 ovo batido
  • sal e pimenta da jamaica
  • 2 colheres farinha
  • água q.b. 
  • farinha para uma segunda passagem antes de fritar
 Para o molho de iogurte
  • 1 iogurte natural (de preferência tipo grego)
  • 2 colheres de sopa de coentros e salsa picados
  • alho em pó q.b.
  • pimenta cayena q.b.
  • sal q.b.
  • azeite q.b.
  • raspa de 1/2 limão
  • sumo de limão a gosto
 Acompanhar com batata frita pála-pála (fiz em casa) e limão
  • óleo q.b. para fritar (uso de girassol)

Preparação:

Se fritar as batatas em casa, começar por aí - fritar e reservar.

Para o camarão: depois de descascado (eu reservo as cascas para fazer creme de camarão) temperar com um pouco de sal e pimenta e sumo de limão. Reservar enquanto se prepara o polme.
Para o polme bater bem um ovo, temperar de sal e pimenta e adicionar a farinha. Vai ficar bastante espesso e deve diluir-se com água fria. Passar os camarões por esse polme e antes de levar a fritar escorrer bem e passar por farinha simples. Fritar em óleo quente até ficar ligeiramente dourado. Retirar para um prato com papel absorvente.

Para o molho de iogurte começar por colocar os coentros e salsa picados, o alho em pó, a pimenta, o sal, a raspa de limão e um fio de azeite num almofariz e desfazer bem. Juntar ao iogurte e envolver bem. Rectificar os temperos e juntar um pouco de sumo de limão.

Servir os camarões com limão, o molho e as batatas. Um petisco bem saboroso!

Vai uma dentada?

Versão para impressão

domingo, 2 de Fevereiro de 2014

Bolo de maçã e noz

Há cá por casa maçãs granny smith já demasiado maduras para o meu gosto - prefiro-as pouco depois da apanha, com a sua cor verde ainda bem viva, bem crocantes e com a sua acidez no auge. Mas com o tempo elas vão amarelecendo e ficando um pouco mais doces.  E claro, fora do frio começam a estragar-se.
Para aproveitar algumas delas fiz um bolo de maçã bem denso e húmido.


Bolo de maçã e noz

Ingredientes:
  • 200gr margarina amolecida
  • 250gr açúcar amarelo
  • 4 ovos
  • sumo de 1/2 limão
  • 1 pitada de sal
  • 1 colher (chá) canela em pó
  • 240gr farinha
  • 2 colheres (chá) fermento em pó
  • 3 maçãs em cubos (cerca de 400gr)
  • aprox 50gr nozes picadas grosseiramente

Preparação:

 Numa tigela colocar a margarina amolecida e bater bem com o açúcar amarelo. Adicionar os ovos, um a um, batendo entre adições.
Juntar o sumo de limão, a pitada de sal e a canela e bater. Adicionar, aos poucos, a farinha e o fermento peneirados. Por fim envolver as maçãs aos cubos e as nozes.

Colocar o preparado numa forma untada com margarina (ou spray) e polvilhada com farinha e levar a forno médio pré-aquecido.

Retirar quando passar no teste do palito.

(Atenção: eu prefiro os bolos húmidos, por isso assim que passa o teste do palito retiro logo. Quem preferir os bolos um pouco mais cozidos deverá deixar dourar mais o bolo à superfície.)


Vai uma fatia?

Versão para impressão

sexta-feira, 24 de Janeiro de 2014

Arroz com salsichas, bacon e cogumelos - para dias desinspirados, mas com sabor!

Esta receita faz parte de uma secção cá em casa que apelido de "ração de combate" - não tem nada que saber, é rápida de preparar e normalmente a despensa e frigorífico têm sempre estes ingredientes (ou outros que servem para o mesmo propósito).
Falta de imaginação, falta de vontade de pensar em qualquer coisa "mais a sério" levam-me para estas soluções fáceis. Mas nem por isso deixam de ser saborosas...

Arroz com salsichas, bacon e cogumelos

Ingredientes:
  • 2 cenouras (pequenas)
  • 1 cebola (média)
  • 2 dentes de alho
  • 1 folha de louro
  • 100gr de bacon/ toucinho fumado
  • 1 fio de azeite
  • vinho branco a gosto
  • 4 salsichas (tipo frankfurt)
  • 1 latinha (das pequenas) de cogumelos
  • 1/2 copo* de arroz agulha
  • 1 e 1/4 copo de água
  • sal, pimenta da jamaica, noz moscada e molho inglês a gosto
*(copo com capacidade de 200ml)
 
Preparação:

Em primeiro lugar descascar as cenouras e cortar em pedacinhos pequenos. Picar a cebola e o alho.
Cortar o bacon em cubinhos. Colocar os ingredientes num tacho, regar com um fio de azeite e juntar a folha de louro e os temperos.
Deixar cozinhar um pouco, mexendo de vez em quando. Assim que o bacon começar a alourar juntar um pouco de vinho branco e deixar ferver para evaporar. Juntar nesta fase as salsichas em rodelas e os cogumelos (usei inteiros e cortei em quartos). Deixar cozinhar cerca de 5 minutos e juntar o arroz, envolvendo bem. Acrescentar então a água e deixar cozinhar em lume brando até que o arroz absorva a água, mas sem deixar secar em demasia.

Servir com um pouco de salsa (não piquei para a foto, mas deve ser picada)
 (serve duas pessoas com fomeca ;))

Vai uma garfada?

Versão para impressão

terça-feira, 14 de Janeiro de 2014

Queques de frutos secos

Bem... Continuo a chamar queques a este tipo de bolinhos, mas de outras vezes chamo muffins...Ainda não me decidi! Enfim, são bolinhos individuais, bem fáceis de fazer, e o que conta mesmo é o sabor que têm, certo?

Por isso cá vai mais uma dose deste bolinhos tão práticos para o lanche, dentro e fora de casa.
Desta vez optei por usar frutos secos, que gosto muito.
Deixo-os sempre muito clarinhos porque não gosto de deixar secar a massa.Assim que passam no teste do palito tiro-os logo do forno.


Queques de frutos secos

Ingredientes:
  • 140gr açúcar amarelo
  • 180gr farinha
  • 1 e 1/2 colher (chá) fermento em pó
  • 1 pitadinha de sal
  • 2 ovos
  • 1 dl óleo de girassol
  • 1 dl de leite
  • 1 colher (chá) aroma de baunilha
  • 15 ml vinho do porto
  • 1/2 cháv* nozes
  • 1/2 cháv amêndoas
  • 1/2 cháv sultanas douradas
*(capacidade de 250ml)

Preparação:

Numa tigela colocar os ingredientes secos e envolver bem: o açúcar, a farinha, o fermento e o sal.
Numa outra tigela colocar os ingredientes líquidos e misturar bem: os ovos, o óleo, o leite, a baunilha, o vinho do Porto.

Juntar com cuidado os ingredientes líquidos aos secos e envolver, sem bater. Por último envolver com cuidado os frutos secos.

Forrar uma forma de queques com forminhas de papel e distribuir a massa por elas.
Levar a forno médio até que passem o teste do palito.

(rende 12 queques)

Vai uma dentada?

Versão para impressão

sábado, 11 de Janeiro de 2014

Cubos de frango aromáticos com couscous e molho de iogurte

Esta é uma receita bem fácil, aromática, e muito saborosa.
O contraste das especiarias, quentes, com a frescura do iogurte é muito bom. Para além disso temos o toque doce dos bagos de romã a contrastar com a acidez do limão e as ervas frescas.

Cubos de frango aromáticos com couscous e molho de iogurte

Ingredientes:

Para o frango:
  • 2 peitos de frango cortados em cubos
  • raspa e sumo de 1/2 limão
  • açafrão das índias q.b.
  • pimenta cayena q.b.
  • alho em pó q.b.
  • pimenta q.b.
  • sal q.b.
Para os couscous:
  • 1 medida (200ml) couscous
  • 1 medida de água
  • sal q.b.
  • azeite q.b.
  • 1 cenoura
  • 1 cebola pequena
  • 1 folha de louro
  • sal e pimenta q.b.
  • salsa q.b.
  • alecrim q.b.
  • raspa de 1/2 limão
  • bagos de romã a gosto
Para o molho de iogurte:
  • 1 iogurte natural (uso tipo grego)
  • salsa q.b.
  • alecrim q.b.
  • pimenta cayena q.b.
  • sal e pimenta q.b.
  • alho em pó q.b.
  • sumo de 1/2 limão
Preparação:

Começar por cortar os peitos de frango em cubos e temperar com raspa de limão, pimenta, sal, açafrão, cayena e alho em pó. As quantidades de aromáticos são ao gosto de cada um. Envolver bem os temperos com a carne e deixar marinar pelo menos 15 minutos.

Preparar então os legumes para os couscous. Numa frigideira colocar um pequeno fio de azeite. Picar a cebola e a cenoura em cubos pequeninos, juntar a folha de louro e temperar com sal e pimenta. Deixar cozinhar até que comece a caramelizar.
Entretanto ferver, num tachinho, a medida de água com o sal e retirar do calor. Juntar de imediato os couscous e tapar, deixando repousar durante 6 a 7 minutos. Decorrido o tempo soltar bem os couscous coma ajuda de um garfo e acrescentar o preparado de cenoura e cebola, descartando a folha de louro.
Juntar uma mistura de salsa e alecrim bem picados e a raspa de limão. Envolver bem. Reservar até servir.

Para o molho de iogurte basta juntar todos os ingredientes: o iogurte, salsa e alecrim bem picadinhos, pimenta cayena, sal e pimenta, alho em pó e sumo de 1/2 limão. Envolver bem. Reservar até servir.

Para o frango: colocar uma frigideira antiaderente a aquecer, sem qualquer adição de gordura. Quando estiver bem quente juntar o frango. Ir mexendo de vez em quando e assim que estiver a meio da cozedura juntar o sumo de limão, envolvendo bem. Deixar dourar a carne.

Para servir é só juntar aos couscous uns bagos de romã - além de cor oferecem um doce maravilhoso, contrastando com o limão presente em todos os outros elementos da receita.

Vai uma garfada?

Versão para impressão

sexta-feira, 3 de Janeiro de 2014

Já estamos nisto há 4 anos...

Pois é, fez no dia 1Jan2014 quatro anos que iniciei as minhas aventuras pelos blogues de culinária.
Sei que evoluí bastante desde que comecei, mas sei também que ainda me falta tanto, mas tanto para me sentir à vontade numa cozinha!

(Basta ver programas como o Júnior Masterchef para perceber que há criancinhas entre os 8 e os 12 anos que me davam um grande baile em técnicas de cozinha e empratamento!!!)

Mas cá estou eu, segura que de vez em quando vou testar algo novo, que pode ou não correr bem. Mas isso mesmo faz parte da aprendizagem - o meu livro virtual de receitas já tem muita coisa, mas espero ir partilhando muitas outras, de preferência cada vez melhores!


E como a "dona" do estaminé já enfrenta as consequências do tempo também o "logo" vai ficando envelhecido, mas ainda com muito para dar!


domingo, 29 de Dezembro de 2013

Muffins de maçã e pepitas de chocolate

Mais uma fornada de queques (ou muffins) que saiu na minha cozinha. São muito rápidos a preparar, fáceis, e um excelente lanche portátil!
São como um aromático bolo de maçã e canela, e ainda com umas pequenas surpresas de chocolate (só porque sou muito gulosa).


Muffins de maçã e pepitas de chocolate

Ingredientes:
  • 180gr açúcar amarelo
  • 210gr farinha
  • 2 colheres (chá) fermento em pó
  • 1 pitada de sal
  • 1 dl óleo (usei de girassol)
  • 1,5dl leite
  • 1 colher (chá) aroma de baunilha
  • 2 ovos
  • 2 maçãs reineta em cubinhos (cerca de 2 chávenas)
  • 40gr pepitas chocolate
  • 1 pitada canela
  • açúcar em pó e canela para polvilhar (opcional)
Preparação:

Numa tigela misturar bem o açúcar, a farinha, o fermento, e o sal. Numa outra tigela colocar o óleo, o leite, os ovos e o aroma de baunilha e misturar muito bem até ficar homogéneo. Juntar esta última mistura à mistura de farinha e açúcar, mexendo cuidadosamente apenas até os ingredientes estarem bem misturados. Acrescentar então as maçãs (descascadas e cortadas em cubos pequenos), as pepitas de chocolate e uma pitada de canela, envolvendo bem.
Forrar uma forma de cupcakes com forminhas de papel e distribuir a massa uniformemente pelas caixinhas.
Levar a forno médio pré-aquecido e retirar assim que passar no teste do palito.

No fim de arrefecerem um pouco polvilhar com uma mistura de açúcar em pó e canela (opcional).

(Nota: esta receita rendeu 15 queques, pelo que usei uma forma de 12 e ainda 3 latinhas individuais forradas com forminha de papel)


Vai uma dentada?

Versão para impressão

quarta-feira, 25 de Dezembro de 2013

Bolo Rei

É rara a mesa de Consoada que não tenha um Bolo Rei... Este ano fui eu que o fiz!

Continuo a testar alterações à massa base mexendo nas quantidades de ingredientes para chegar ao "tal" bolo, o que verdadeiramente me enche as medidas! E, com a concordância de quem o provou, acho que posso ter mesmo chegado à receita ideal!

E desta vez optei por testar um bolo rei (e não rainha), mas com as frutas cristalizadas apenas na massa - os pedacinhos pequenos complementam os frutos secos, e não há pedaços grandes na decoração, onde acho que são mais enjoativos.

Ficou bastante rico em frutos, não é demasiado doce mas tem os pequenos apontamentos das frutas cristalizadas picadas. É uma receita vencedora, sem dúvida!

Ainda quentinho estava delicioso, um verdadeiro pecado! (As fotos foram tiradas com os bolos acabadinhos de fazer, ainda fumegavam!)
Bolo Rei

Ingredientes:

Para o fermento:
  • 150gr farinha
  • 25gr fermento fresco 
  • 1 dl leite (morno)
Para a massa:
  •  550gr farinha
  • 125gr manteiga amolecida
  • 200gr açúcar amarelo
  • 5 ovos
  • 3 colheres (sopa) vinho do Porto
  • 3 colheres (sopa) aguardente
  • raspa de 1 limão
  • 1 colher (sobremesa) sal
  • 200gr frutos secos variados (nozes, avelãs, amêndoas)
  • 50gr sultanas douradas
  • 125 gr fruta cristalizada em cubinhos
Para finalizar e decorar:
  • uma gema de ovo (diluída em leite ou água) para pincelar antes de ir forno
  • frutos secos q.b. para decorar antes de ir ao forno 
  • geleia de marmelo derretida para pincelar depois de pronto
  • açúcar em pó q.b.


Preparação:

Começar por preparar a massa com fermento, diluindo-o no leite morno e misturando com a farinha. Deixar repousar em local abrigado até que dobre o volume (cerca de 30 minutos). Preparo-o logo na taça da batedeira.

Assim que a primeira massa estiver fermentada acrescentar-lhe a manteiga, o açúcar, os ovos, o vinho do Porto e aguardente, a raspa de limão e o sal, usando os ganchos de amassar durante as adições.
Acrescentar então a farinha e deixar amassar pelo menos durante 10 minutos.
Juntar por fim os frutos (secos e cristalizados) e deixar amassar mais alguns minutos para que se incorporem uniformemente na massa.

Deixar a massa levedar em local abrigado. O ideal é deixar levedar várias horas (deixei levedar cerca de 4 horas).

No fim de lêveda deverá ser uma massa fofa e relativamente fácil de moldar. Se se pegar às mãos deverá polvilhar-se farinha na bancada onde se tenderem os bolos e também um pouquinho sobre a massa.

Formar os bolos (esta receita rendeu 3 bolos de tamanho médio) dividindo a massa em bolas. Calcar no centro até começar a abrir um buraco e depois alargar até ficar em formato de argola. Deixar repousar cerca de uma hora antes de levar a forno médio pré-aquecido. Para que não pegue deverá forrar-se o tabuleiro com papel vegetal.
Imediatamente antes de ir forno pincelar com gema de ovo diluída em leite ou água e decorar com os frutos secos.

Fazer o teste do palito para verificar a cozedura. (Se o bolo começar a ficar muito escuro e não estiver pronto deverá tapar-se com folha de alumínio).

Assim que estiver pronto retirar do forno e pincelar com geleia derretida (uns segundos no microondas), para dar brilho. Aguardar que arrefeça alguns minutos e polvilhar com açúcar em pó a gosto.

Vai uma fatia?

Versão para impressão

segunda-feira, 23 de Dezembro de 2013

Estrelinhas de especiarias

Quando fiz bolachinhas com especiarias fiquei rendida ao seu aroma fantástico.
Estas foram ainda mais ousadas e aromáticas! Às especiarias que já tinha testado acrescentei a frescura do limão, o calor da pimenta preta e ainda um toque de cravinho. Podem colocar as especiarias que mais gostarem, omitir as que não apreciarem... Esta mistura, para mim, é excelente!

Foram as escolhidas para oferecer à família neste Natal, espero que também eles gostem!


Estrelinhas de especiarias

Ingredientes:
  • 250gr manteiga amolecida
  • 250gr açúcar
  • 1 ovo
  • 500gr farinha
  • raspa de 1 limão
  • 4 colheres (chá) canela
  • 2 colheres (chá) gengibre em pó
  • 2 colheres (chá) noz moscada
  • 1 pitada de cravinho em pó
  • 1 pitada de pimenta preta
Preparação:

Numa tigela colocar a manteiga amolecida e o açúcar e bater até ficar uma mistura fofa. Acrescentar o ovo e bater novamente. (Pode usar-se a batedeira)
Juntar todos os ingredientes aromáticos e envolver bem, até ficar uma massa com cor homogénea.
Por fim acrescentar a farinha - gosto de o fazer à mão, até que a massa se una e despegue das mãos.

No inverno a massa é mais fácil de trabalhar, porque a temperatura mais baixa deixa a manteiga endurecer um pouco. Por isso não necessitei descansar a massa, estava pronta a estender sem sequer ser necessária farinha, já que não se pegava à bancada. (Com temperaturas mais elevadas deve refrigerar-se a massa cerca de 30 minutos antes de estender. Se tiver tendência a pegar, polvilhar a superfície com farinha)

As bolachinhas, depois de cortadas, devem ir ao forno até ficarem com a base dourada, em tabuleiro forrado com papel vegetal.

A cozinha fica a cheirar a especiarias, bastante convidativa a uma caneca de chá a acompanhar as bolachinhas acabadinhas de fazer!

Vai uma bolachinha?

Versão para impressão


quarta-feira, 11 de Dezembro de 2013

Regueifa - a minha primeira tentativa!

Há muito que queria uma receita deste pão doce, e acabei por encontrar. No entanto ficou em arquivo e foi ficando esquecida a experiência...
A regueifa é típica do norte do país, e julgo que seja característica da altura da Páscoa... Mas agora pertinho do Natal é que me apeteceu experimentar!

Lá pus mãos à obra, não sem antes dar uma reviravolta à receita que encontrei...

A receita base tirei do Pratos da Bela, que também ela acabou por ir adaptando com receitas posteriores.
Resolvi acrescentar um passo, preparando um fermento prévio e só depois juntar os restantes ingredientes e amassar. Algumas das quantidades também foram alteradas à medida que ia fazendo...
Desta vez não amassei à mão porque é uma massa muito húmida e difícil de trabalhar, pelo que usei a batedeira com os ganchos de amassar.

Adorei o resultado final, fica uma massa muito leve e fofa. Não é excessivamente doce, e o toque da canela é bastante suave. Agora só preciso de treinar a enrolar a massa para que a rosca não fique sem buraco!
Regueifa

Ingredientes:

Para o fermento:
  • 25gr fermento fresco
  • 100gr farinha
  • 125ml leite morno
Para a massa:
  • 150 ml leite morno
  • 3 ovos grandes
  • 200 gr açúcar
  • 100 gr manteiga amolecida
  • 40 ml vinho do Porto
  • raspa de 1 limão (pequeno)
  • sumo de 1/2 limão (pequeno)
  • 1 colher (chá) canela em pó
  • 450 gr farinha + q.b. até formar uma bola (entre 75 a 100 gr, consoante a capacidade de absorção da farinha)
  • leite q.b. para pincelar antes de ir ao forno
  • cerca de 1 colher (sopa) de manteiga derretida para pincelar no fim de pronta

Preparação:

Em primeiro lugar preparar a massa fermentada colocando a farinha, o leite e o fermento fresco numa tigela (usei a tigela da batedeira). Misturar tudo muito bem e deixar repousar, tapado com um pano, até dobrar de volume.
Após a massa estar fermentada juntar o leite, os ovos, o açúcar, a manteiga, o vinho do porto, a raspa e sumo de limão e a canela. Bater um ou dois minutos até ficar uma massa homogénea.
Juntar agora a farinha, em duas ou três vezes, e deixar amassar alguns minutos. Se a massa permanecer muito mole juntar mais farinha até que, ao amassar, a massa tenha tendência a formar uma bola.
Amassar durante 10 a 15 minutos.
Deixar a massa repousar, tapada com um pano, até aumentar de volume (cerca de uma hora).
Untar (ligeiramente) uma superfície com azeite e dividir a massa em duas partes, que deverão ser transformadas em rolos. (Untar com azeite é para que a massa não pegue, e não usando farinha não estamos a alterar a sua consistência.)

Enrolar os dois pedaços de massa e colocar num tabuleiro (forrado com papel vegetal) a repousar mais uma hora, antes de ir ao forno.
O forno deve ser pré-aquecido, em temperatura média.

Antes de levar a regueifa ao forno deve pincelar-se com leite. Enquanto está no forno, se começar a ficar muito escura e não estiver pronta, cobrir com folha de alumínio até que a massa passe no teste do palito. Por opção deixo a massa pouco cozida para não ficar seca. Assim que passa no teste do palito retiro do forno.

Ao sair do forno pincelar com um pouco de manteiga derretida, confere-lhe um acabamento brilhante.
(A regueifa cresce imenso, podem perfeitamente fazer-se duas roscas de bom tamanho. Esta regueifa pesava cerca de 1,4kg)

Vai uma fatia?

Versão para impressão

quarta-feira, 4 de Dezembro de 2013

Queques de limão com sementes de papoila

Se há receita prática e muito fácil de fazer é a de queques (ou muffins, se estiverem para aí virados!).
As variações de sabor são as que a imaginação ditar, mas eu trago-vos uma receita do livro "O Grande Livro da Pastelaria".

Não me aventurei a alterar ingredientes nem a fazer ajustes na receita da massa, mas eu gosto imenso de bolinhos com limão e não resisti a acrescentar uma calda para os regar!


Queques de limão com sementes de papoila

Ingredientes:
  • 350gr farinha
  • 1 colher (sopa) fermento em pó
  • 115gr açúcar
  • 2 colheres (sopa) sementes de papoila
  • 55gr manteiga
  • 1 ovo grande
  • 225ml leite
  • raspa e sumo de 1 limão 
Para a calda:
  • sumo de 1 limão
  • 30ml água
  • 35gr açúcar
Preparação:

Colocar os ingredientes secos numa tigela, peneirando em primeiro lugar a farinha e o fermento, e adicionando depois o açúcar e as sementes. (As sementes podem ser torradas durante cerca de 30 segundos numa frigideira)
Numa outra tigela colocar a manteiga derretida, adicionar o ovo batido. Juntar também a raspa de limão, o sumo (juntei também a polpa porque não tinha sementes), e o leite. Mexer bem até ficar cremoso.
Juntar o creme obtido aos ingredientes secos e mexer bem até que fique uma massa macia e pegajosa, húmida. Se estiver muito seca adicionar um pouco de leite (no meu caso não foi necessário, mas pode depender da absorção da farinha usada).
Num tabuleiro para queques (a receita rende 12) colocar uma forminha em cada buraco e distribuir a massa uniformemente.
Levar a forno médio pré-aquecido.
Vigiar e retirar assim que  passarem no teste do palito, que deverá sair seco ao espetar no centro do bolinho. (Como já estavam prontos não deixei dourar para não secarem demasiado. Cá por casa não apreciamos massas muito secas.)

Para a calda, basta colocar todos os ingredientes num tachinho e levar a ferver até que o açúcar fique bem dissolvido.

Deixar arrefecer um pouco, fazer furinhos nos queques com um palito e regar com a calda (com a ajuda de uma colher de sopa, ou pincelando).


Os queques ficaram fofos e a calda pegajosa por cima é deliciosa!
(Se gostarem mesmo muito de limão podem dobrar a quantidade de sumo usado na massa, eu acho que ficaria ainda melhor)

Vai uma dentada?

Versão para impressão